Intervenção para funções executivas

piafex capa

Os conhecimentos trazidos com o avanço das Neurociências não deixam dúvidas de que o processo de aprendizagem, o com-portamento adaptativo e a regulação emocional dependem de modo relevante do desenvolvimento adequado das funções executivas.
Quando essas funções não se desenvolvem adequadamente, ou quando se encontram, por alguma razão, prejudicadas, o indi-víduo pode experimentar uma série de dificuldades de ordem cognitiva e/ou comportamental que, por sua vez, podem conduzir a fracasso social, acadêmico e profissional. Esse indivíduo fica demasiadamente suscetível a eventos externos, torna-se inadequado, não consegue fazer planos, dificilmente termina uma tarefa, mostra-se desatento ou impulsivo.

Já foi evidenciado que um maior desenvolvimento dessas habilidades poderia promover melhor adaptação e rendimento esco-lar, além de prevenir uma série de problemas sociais e de saúde mental, o que conduziria à diminuição nos custos sociais relaciona-dos a comportamentos desadaptativos e antissociais, incluindo adicção a substâncias químicas, e no diagnóstico de distúrbios que frequentemente incluem alterações no funcionamento executivo, a exemplo do TDAH e do Transtorno de Conduta. Nessa mesma direção, diversos autores têm enfatizado a importância de promover o desenvolvimento precoce das funções executivas, dada sua relação com prontidão escolar e sua relevância para a realização acadêmica ao longo dos anos escolares; são habilidades com importante poder preditivo sobre o desempenho em leitura e matemática no decorrer da escolarização. Fundamentalmente, proporcionar meios e oportu-nidades para a prática e para o desenvolvimento das habilidades executivas pode ser benéfico a todas as crianças. Tal postura pode minimizar ou prevenir dificuldades ulteriores, preparando esses indivíduos para lidar com as demandas crescentes impostas pela escola e mesmo pela sociedade. Segundo a literatura, a ênfase na aquisição de conhecimento sem ênfase nos processos cognitivos por meio dos quais o conhecimento é adquirido, sobretudo com relação a crianças jovens, muito provavelmente conduzirá a um sistema educacional ineficaz.

Neste ponto, emerge a questão: Seria, então, possível promover o desenvolvimento das funções executivas em crianças?
Com esse objetivo é que foi desenvolvido o Programa de Intervenção em Autorregulação e Funções Executivas, ou Piafex. O programa reúne um conjunto de atividades que visam estimular o desenvolvimento de habilidades em crianças pré-escolares e no início do Ensino Fundamental, incluindo habilidades como organização, planejamento, inibição de impulsos, atenção, memória de trabalho, metacognição e regulação emocional. Pode ser aplicado nos contextos clínico e escolar, como ferramenta de reabilitação ou de intervenção precoce. A aplicação preventiva do Piafex, porém, é seu maior objetivo! Ou seja, o professor encontrará neste pro-grama de intervenção subsídios teóricos e práticos que o auxiliarão a estimular o desenvolvimento das funções executivas de suas crianças, auxiliando-as a lidar com as demandas crescentes da escola e da sociedade.

Quem pode aplicar o Piafex?
– Professores, psicólogos, psicopedagogos e profissionais ligados à área educacional.
Qual a idade adequada para participar das atividades?
– O Piafex foi inicialmente desenvolvido e testado em crianças de 5 (Educação Infantil) e 6 anos de idade (primeiro ano). Porém, é possível adaptar as atividades e expandir a faixa etária.
Posso usar o Piafex na clínica?
– As evidências da eficácia do Piafex são oriundas de sua aplicação em contexto de sala de aula. Porém, é possível aplicá-lo em contexto clínico. Nesse caso, sugerem-se sessões em grupo, pois a interação tem papel relevante em muitas das atividades do programa.
O Piafex pode ser usado remediativamente para auxiliar crianças com déficits nas funções executivas?
– Sim! Embora desenvolvido com base em uma abordagem preventiva, as atividades do Piafex poderão auxiliar crianças com difi-culdades nas habilidades executivas e de autorregulação. O programa foi delineado para estimular e promover funções executivas e poderá fazê-lo em crianças com ou sem alterações nessas habilidades. Deve-se considerar o grau de comprometimento, a frequência da intervenção, e outros tratamentos / acompanhamentos de cada caso.

Importante: Para otimizar o emprego deste programa, também será disponibilizado, à parte, o Estojo de Atividades Piafex, conten-do o material necessário para a aplicação de grande parte das atividades do programa, de modo que o professor / educa-dor não tenha que se preocupar com a confecção do material necessário, caso assim o deseje.

%d blogueiros gostam disto: